Glossário Capilar - Parte 2 - Químicas

Alisante: produto usado nas técnicas de alisamento, relaxamento, amaciamento e recondicionamento térmico. Contém substâncias químicas que permitem a alteração da estrutura do fio: de crespo para liso ou cacheado. 

Amônia: composto químico também conhecido por amoníaco, que abre as cutículas e permite a penetração dos pigmentos, no caso da coloração. Também está presente em alguns produtos para alisamento, para facilitar a ação dos ativos que alteram a estrutura do fio.

Descoloração: conhecida como decapagem ou limpeza de cor. A técnica utiliza pó descolorante e água oxigenada para retirar pigmentos do interior da fibra capilar. Há duas situações em que ela é requerida: antes de clarear cabelos naturalmente escuros e nos escuros coloridos com tinta, afinal tinta não clareia tinta.

Formol: também conhecido como aldeído fórmico, formaldeído, formalina, formalit, glutaraldeído karsan, lysoform e oxymetano. Desde 2005 a Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) mostrou-se contrária ao uso do formol utilizado como alisante, nas escovas progressivas, mas só em 2009 publicou a resolução RDC36, que proíbe a comercialização dessa substância em estabelecimentos como drogarias, supermercados, etc. Essa foi uma medida adotada para coibir o uso do formol e seus derivados como alisante capilar, muito utilizado nas escovas progressivas. A lei diz que a aplicação do formol como alisante, coloca em risco a saúde do profissional e do cliente. A inalação pode irritar olhos, garganta e nariz e causar problemas respiratórios. Por ser volátil, pode ficar no ar e, se aspirado, aumenta a possibilidade de inflamação de pulmões, bem como risco de pneumonia química. Pode causar sérios danos ao usuário, como alergia, placas vermelhas e pruriginosas no couro cabeludo, queimadura, inchaço, entre outros, e principalmente ao profissional que aplica e se expõe diversas vezes ao produto, sendo considerada uma substância cancerígena pela Organização Mundial de Saúde.

Glutaraldeído: com a proibição do formol, alguns fabricantes passaram a usar essa substância (um dialdeído saturado) em escovas progressivas. Mas esse desinfetante hospitalar, também conhecido como glutaral, é mais tóxico que o formol, sendo o principal causador de intoxicação, queimação do couro cabeludo, entre outras consequências. Também proíbido pela Anvisa, a legislação só permite o uso de glutaraldeído em produtos cosméticos na função de conservantes (limite máximo de 0,1%).

Guanidina: este ativo é resultado da mistura do hidróxido de cálcio com o carbonato de guanidina. Ela altera definitivamente a estrutura da fibra capilar e não deve ser aplicada em cabelos que receberam amônia, chumbo proveniente do henê ou outro alisante. O hidróxido de guanidina é mais forte que o hidróxido de amônio e mais fraco que o hidróxido de sódio (soda).

Henê: produto à base de metais, muito utilizado em alisamentos caseiros. É incompatível com qualquer outra fórmula para relaxar ou alisar.

Hidróxido de sódio: atua na abertura das cutículas do cabelo, penetrando no córtex. Tem ação rápida, com maior poder de alisamento, mas é bem agressivo.

Permanente  afro: técnica para encaracolar, da raiz às pontas, fios muito crespos e sem forma. São feitos dois processos químicos seguidos, com substâncias compatíveis entre si.

Recondicionamento térmico: tem vários sinônimos: alisamento japonês, escova definitiva, chapinha japonesa, retexturização, realinhamento térmico, realinhamento celular. É uma técnica que alisa por até seis meses. Os ativos usados são tioglicolato de amônio ou hidróxidos, como sódio, guanidina, de amônio e de lítio.

Tioglicolato: é um ativo químico que age nas camadas internas do fio, atuando nas ligações químicas que são responsáveis pela sua forma.



Fonte: Revista Cabelo & Cia

4 comentários:

  1. Olá Ana td bem? Muito legal seu blog, eu queria aproveitar e te pedir uma ajuda. estou querendo comprar um óleo, pois soube que é bom pra os cachos reavivarem, mas faço No/PoW e não conheço os produtos importados. São justamente os óleos da lojinhadavanessa, que estou pesquisando, vc conhece algum de lá para me dar uma opinião sobre eles? Grata, um bj no coração. Marcela

    ResponderExcluir
  2. Tudo bem sim, Marcela e vc? :)
    Olha, eu tenho um óleo importado aqui e vou postar sobre ele em breve. Mas esses da loja da Vanessa eu ainda não conheço o produto em si, mas as composições posso te adiantar q são ótimas! Para vc que ainda está começando com esse lance de usar óleo, eu recomendaria o Busy Izzy Hair Oil for Growth and Softness. É um óleo que além de maciez, ajuda no crescimento. A formulação dele é excelente: tem soja, rícino, aloe vera, abacate, urtiga e cavalinha. Vc poderá usá-lo de várias maneiras, inclusive em umectações, massagens no couro cabeludo e também nos fios...mil utilidades rsrs. Bjs!

    ResponderExcluir
  3. Aninhaaa, que post mara!!! Que conhecimento vc está dividindo conosco!! Parabéns e obrigada por compartilhar!!
    Bjks

    ResponderExcluir
  4. Gaspinha, muito obrigada! :) Espero poder corresponder sempre à confiança de todas vcs! Beijão!

    ResponderExcluir

Obrigada por vir! Bjs.



Curta nossa fanpage!